11.12.08

News

Antes de prosseguir com a vida e com textos menos parecidos com páginas de diário, quero levar ao conhecimento das 12 pessoas que lêem este blog três coisas.

A primeira delas é que: sim, ao que parece, o negócio pro meu lado melhorou. Como esperado, a organização dos astros agora permite com que ocorrências menos dramáticas permeiem a minha existência. O que vem a seguir mostra isso.

A segunda delas: ganhei um presente dos mais belos e carinhosos da minha futura esposa. Depois de ter me enganado o dia todo, depois de ter me feito pensar coisas terríveis e sentido raiva, resignação, ódio, tristeza e melancolia, naquele parque de diversões emocional que a indiferença é capaz de fazer ingressar os neuróticos, ela me apareceu com este texto. Eu li e fiquei sem saber o que fazer por alguns minutos. Passado o deslumbramento inicial eu já sabia o que fazer, mas não em qual seqüência: se beliscões primeiro e depois cócegas, ou se o inverso. De qualquer maneira nosso relacionamento tem que evoluir muito, mas muito mesmo, até chegar a este ponto. Explico: é que nós nunca sequer nos vimos. Oxalá isto um dia aconteça - mas tá difícil. Como eu sempre fui um sujeito pós-moderno, ou seja, minhas referências inexistem ou são as mais confusas possíveis, chego a pensar que - quem sabe -, talvez nem precisássemos mesmo nos encontrar. O que vale é o afeto e a banda larga em dia, não é? Hummm... acho que não gostei disso: sou bem à moda antiga. E confuso mesmo, como está demonstrado.

Terceira: bem, sobre a terceira não ficarei divagando - ela fala, e mais do que satisfatoriamente, por si. Outro presente inesquecível e por mim impensável. Quase morri afogado vendo. Obrigado Fê: é lindo, é lindo demais isso. Morram de inveja. Tem o nome de Presente de aniversário para um amigo.



2 comentários:

Lélia Campos disse...

Você merece!!!

Livoca disse...

ele merecê!
ele merecê!