4.2.08

Arrumando emprego

Tudo bem que eu seja reaça, e que por conta disso jamais consiga arrumar emprego em um lugar vermelho. Já até tentei, mas fui despachado com um inexplicável óbvio pé na bunda. Havia duas vagas, e no final do processo seletivo estavam brigando pra saber quem ia trabalhar comigo. Devo acreditar que perderam o meu telefone? rsrsrs

Mas, porém, entretanto, gostaria aqui de me oferecer para ocupar o lugar do Paulo Henrique Amorim no IG. A capacidade que este sujeito tem de dizer bobagens e fazer análises absurdas há muito tem passado dos limites. Não serve mais sequer como piada. E quando não serve mais nem pra piada, a coisa é enterrar.

Caso dos cartões corporativos. Não interessava ao senhor Amorim a questão do desvio do dinheiro, a questão ética. Hummm, este é um sinal. Um sinal antigo, claro. Isto significa que ele não é reaça como eu, que acreditaa na liberdade individual e na economia de mercado. Na cabeça do senhor Amorim, assim como na dos seus, o dinheiro faz parte de uma divisão social que só através deste tipo de desvio pode ser eqüânime. O dinheiro, como é de todo mundo, é meu também. E principalmente meu, aliás. Como diz muito bem nosso amigo: eles são os burgueses do capital alheio.

Bem, já que por seus princípios ele não pode falar sério, vamos então pra piada. Segungo o homem do IG, a questão dos cartões seria mais uma crise levantada com o propósito de derrubar Lula. É bom que se diga, aliás, que para PH tudo o que acontece no mundo tem este propósito: a borboleta voa pra derrubar o Lula, a chuva cai pra derrubar o Lula, o pernilongo pica pra derrubar o Lula. O pior é que já existe gente repetindo isso a torto e a direito. Saravá meu pai!!! Chuta que é macumba!!! Um paranóico dá, uma nação paranóica acho difícil suportar...

É claro que a coisa não era crise armada, e que as pessoas envolvidas no assunto tinham que responder pelo tal. E o que se fez? O óbvio, o que estava na cara desde o princípio, mas PHA não imaginava que pudesse ocorrer: jogaram o boi magro para as piranhas a fim de que o resto da boiada passasse incólume. E assim se foi a ministra da "alguma coisa" negra. Todo o resto da turma se comportou como se "não fosse comigo", e o ministro Orlando Silva devolveu o dinheiro da tapioca, como se isto justificasse todo o dinheiro gasto em restaurantes chiques de São Paulo em dias de agenda livre. E isto como exemplo.

Coisas mais vêm aparecendo. Será o que PHA vai tirar as bobagens que escreveu de seu site? Acho que não: pra ele tudo continua sendo obra do tal PIG, uma entidade que descreve um mundo que não existe. A realidade, segundo ele, é só o que se passa na sua cabeça. O que se deve fazer então? Tentar com que outras pessoas comecem a acreditar em seu mundo. Se Hitler conseguiu, né? Só falta ao PH dar conta antes de um milagre econômico...

Olha o problema aí: já pensaram se ele resolve se candidatar à presidência?

Salvem o mundo, e me ponham no lugar do PHA.

Um comentário:

Rodrigo disse...

Meu estimado amigo. Estou cá para a visita mensal...

Acho que você é um otimista quanto a raça humana...

Acho que você exije demais dos macacos...

Siga mais o princípio da caridade, aquele do seu colega norte-americano Will Quine. Não que eu concorde ou discorde dele, mas....