1.10.09

Semana "Chamem o capitão Nascimento"



Na terça-feira ligaram aqui em casa. Já passava da meia-noite e o telefone do quarto do meu avô tocou. Como ligações recebidas a essa hora costumam não ser boa coisa, fiquei ouvindo atrás da porta. Hã? Quê? João? - disse "seu" Ludovico, já quase surdo, o que me fez entrar no quatro e pegar o fone. Uma voz infantil do outro lado:

- Eu tô aqui com eles!
- Peraí: eu quem?
- Sou eu, sou eu! Fala aqui com eles!!!

A ficha caiu na hora. Um sujeito com voz de pastor da Universal e sussurando à la Paulo Ricardo do mal começou a soltar:

- Eu vou acabar com ele!
- Ele quem?
- Vou matá-lo. Vou enfiar uma faca no coração, vou colocar fogo nele.

Assim, bem brega mesmo.

- Rapaz, vai dormir vai.
- Você acha que é brincadeira? Vou dar um tiro na cabeça dele. Eu vou...
- Vai dormir, vai. Vai dormir porque você já acordou todo mundo aqui. Deixa de ser tonto.

Hoje, quinta-feira, não houve tempo nem distância suficientes para que eu fosse irônico. Rua Marechal Deodoro, centro da cidade, 8h20. Fabiano distraído, sonolento, olhando pro chão. Bate um sujeito de frente, já chega outro pelas costas, uma arma no bolso do casaco, carteira e celular arrancados, arma na barriga: - Vai suave. Vai, meu irmão... E e eu fui. Meu celular - velhinho, coitado - foi jogado pra trás, descartado. Terei ainda que ir à delegacia, coisa para qual não estou com um pingo de vontade.

Sei não: acho que se possível ficarei trancado aqui até sábado, dia no qual acredito que irá - finalmente - expirar a minha semana de contatos com foras-da-lei. Boa sorte pra mim.

P.S - Ah, sim: estou apavorado, é claro. Aquelas idéias normais sobre o tema: um escorregão, um milésimo de insanidade, e tchau.

3 comentários:

guisalla disse...

Caraca!

Rodrigo disse...

Faz o BO pela internet......

Lélia Campos disse...

Isso é sério? Quase um mês que não passo aqui e me deparo com essa notícia, credo!!!!
Cuide, menino!!!